Do coaching desportivo ao executivo: semelhanças e diferenças

Por o 21 Fevereiro 2019

O coaching, tal como muitos outros campos, segmenta-se em várias áreas. Desde o coaching que é mais indicado para a vida pessoal ao coaching que se foca na vida profissional do indivíduo, a finalidade é sempre a mesma: conquistar objetivos e obter resultados.

Também num contexto empresarial, para aumentar a produtividade das equipas, e num contexto desportivo, para levar os atletas a alcançarem as metas desejadas, o coaching tem um papel fulcral.

 

 

Entre estas duas áreas existem varias similaridades. Uma pode aprender com a outra e vice-versa. Mas para isso, importa definir num primeiro momento o que cada uma faz e de que forma atua.

O coaching desportivo

O caso mais reconhecido de atuação do coaching desportivo para a melhoria de um atleta foi o de Éder, autor do golo que deu a vitória à seleção portuguesa de futebol no Euro 2016.

Num contexto de alta competição desportiva, a diferença entre ganhar e perder muitas vezes não está nas aptidões físicas e técnicas dos atletas, mas sim nas suas capacidades mentais. É neste momento que os coaches têm de “entrar em ação”, sendo os responsáveis por recuperar emocionalmente os atletas, faze-los acreditar neles e leva-los a atingir o seu potencial máximo.

As lesões, por exemplo, são algo recorrente em alta competição desportiva. Mais que a parte física do atleta, por vezes o mais afetado é a sua parte mental. Com a motivação em baixo e com grandes dúvidas sobre se conseguirão voltar a ser o desportista que eram, os atletas recorrem ao coaching para ultrapassarem estes momentos negativos e voltarem ao ativo numa forma igual ou melhor do que aquela em que se encontravam.

O coaching executivo

Os profissionais do coaching, os chamados coaches, hoje em dia são mais reconhecidos na área do desporto e das artes que na área executiva. O caso de Éder, descrito acima, é um dos motivos para este paradigma em Portugal.
O coach Executivo tem como principal missão trabalhar os seus clientes para a obtenção de objetivos profissionais específicos, sejam eles mudanças de cargos, melhoria da sua produtividade no trabalho ou alterações na forma de estar e comunicar na organização.

Para as próprias empresas, este processo tem efeitos positivos. Afinal, é algo que, entre outras coisas, torna os seus colaboradores mais motivados ou diminui o típico stress que estes sentem no seu quotidiano laboral. Tudo isto aumenta a produtividade e o rendimento da organização.

Do coaching desportivo ao executivo

As semelhanças nos dois pontos acima são várias. Afinal, apesar de atuarem em contextos diferentes, ambos estes tipos de coaching tem como principal objetivo guiar os coachees – indivíduos que passam por um processo de Coaching – a atingirem o seu potencial máximo e, por consequência, ao sucesso das suas equipas.

Ao mesmo tempo, muitas das técnicas utilizadas no coaching desportivo podem também ser aplicadas no coaching executivo da mesma forma. Ainda assim, em qualquer uma das áreas, a flexibilidade para o coach se adaptar ao contexto em que estão inseridos é essencial.

Tal como na área desportiva, todas as capacidades dos funcionários podem ser aperfeiçoadas. Para isso tem de ser criado um compromisso e um sentido de responsabilidade no coachee para melhorar e atingir os objetivos propostos sem ficar à espera que o trabalho parta apenas do coach.

Para saber mais sobre este tema, recomendamos a formação CEGOC Programa de formação de Coaches profissionais - Nível Inicial

/5 - Voir tous les avis

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Avatar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva o Blog

For security reasons, JavaScript and Cookies must be enable in your browser to subscribe