O Coaching e a plasticidade cerebral

Por o 5 Dezembro 2019

Sabemos hoje que o cérebro não é algo estático – é antes uma verdadeira “máquina” que cria novas conexões neurais constantemente, durante toda a nossa vida, substituindo aquelas que deixam de ser úteis e reforçando aquelas que são mais utilizadas.

 

 

O que é plasticidade cerebral?

Ao mudarmos a forma como pensamos, mudamos também os padrões neurais do cérebro. Também alteramos a nossa perceção e criamos uma nova forma de interagir com aquilo que nos rodeia.
Neste contexto, um especialista em coaching reforça constantemente esta capacidade humana, utilizando ferramentas e técnicas que estimulam a neuroplasticidade: a capacidade do cérebro, através do tempo, e especialmente através da aprendizagem, conseguir criar, desfazer ou reorganizar as redes neurais e as ligações destes neurónios.

Através da metacognição, ou reflexão sobre o nosso modo de pensar, abrimos as portas a novas formas de perspetivar a realidade e a novos comportamentos. Quando isso acontece, novas conexões neurológicas são criadas e várias mudanças podem manifestar-se, por exemplo, quando passamos a viver positivamente algumas ações que experimentávamos antes com desagrado, graças à criação de novos hábitos ou comportamentos.

 

O processo de Coaching e a neuroplasticidade

Assentes neste contexto, podemos delinear o processo de coaching em 4 passos:

1 – Consciência: O coaching convida-nos a refletir sobre como os nossos pensamentos nos levam a questionar os nossos lados conscientes e subconscientes. Permite-nos interagir com o mundo sem qualquer sensação relacionada com o ego que interfere com a forma como o fazemos.

2 – Clareza: O acompanhamento personalizado permite-nos permanecer lúcidos, classificar os factos associados a uma situação e compreender o verdadeiro problema.

3 – A escolha: Graças ao coaching, podemos trabalhar nas nossas próprias crenças e então visualizar novas possibilidades. Como já dissemos, a figura do coach promove a criação de conexões neurológicas e novas formas de pensar e comportar-se.

4 – A ação: A confiança no que pensamos aumenta; e ao decidirmos com mais confiança, estamos mais bem preparados para levar a cabo ações concretas.

 

Ordem – o elemento essencial para o coaching

Neste processo, é importante e necessário seguir uma ordem. Primeiro, tornamo-nos conscientes acerca dos nossos paradigmas (as nossas crenças), permitindo-nos uma compreensão clara da situação que nos rodeia. A partir daí, poderemos tomar decisões que nos levarão a uma determinada ação.

Em suma: empreender um processo de coaching, com o apoio de um coach certificado, é uma excelente oportunidade para explorarmos a nossa forma de pensar. Tornamo-nos mais conscientes e confiantes sobre a nossa tomada de decisões e somos capazes de mudar e melhorar muitos aspetos das nossas vidas.

 

*Este artigo foi publicado originalmente AQUI.

Para saber mais sobre este tema, recomendamos a formação CEGOC Programa de formação de Coaches profissionais - Nível Inicial

/5 - Voir tous les avis

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Avatar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva o Blog

For security reasons, JavaScript and Cookies must be enable in your browser to subscribe