O que são ferramentas de coaching e como se usam na ICF?

Por o 19 Maio 2017

Neste artigo, abordamos as indicações, procedimentos e regras para uma boa utilização das ferramentas de coaching.

 

 

Ferramenta, é um termo que se usa para designar um conjunto de instrumentos e utensílios empregados num ofício. Num sentido amplo, é um utensílio ou suporte que permite expandir a capacidade para criar valor numa determinada área profissional.

 

Ferramentas de coaching

No nosso caso, em coaching, as ferramentas a usar deverão ser capazes de expandir a nossa capacidade para criarmos valor em coaching, ou seja, deverão ajudar-nos a melhorar a nossa efetividade na prática das 11 competências centrais da ICF (International Coaching Federation).

Pessoalmente considero que extrema utilidade ter presente, quando nos referimos a ferramentas de coaching, que a primeira regra para a sua boa utilização é a de respeito integral para com a definição de coaching da ICF, para com as suas competências centrais e código de ética.

 

O que podemos reunir acerca das indicações, procedimentos e regras na utilização de ferramentas de coaching?

 

3 princípios:

  1. As ferramentas, embora sejam propostas pelo coach, a decisão de as usar ou não deverá ser sempre tomada pelo coachee.
  2. As ferramentas de coaching deverão ser sempre propostas a partir da escuta ativa do coach, isto é, a proposta da sua utilização deverá resultar do decorrer da conversação de coaching em função daquilo que o cliente manifesta. Costumamos dizer “deve vir do coachee, nunca do coach”.
  3. Qualquer ferramenta a ser usada num processo de coaching, deverá ser suficientemente flexível para se poder adaptar ao estilo de aprendizagem, de processamento ou de atuação do cliente.

 

6 fases de utilização:

Quando, no decorrer da conversação de coaching, o coach avalia como útil, em função daquilo que o cliente pretende atingir na sessão, a utilização de determinada ferramenta, o coach deverá:

  1. Propor a utilização da ferramenta
  2. Fundamentar resumidamente a sua proposta, ou seja, resumir a utilidade esperada da sua utilização, para o cliente
  3. Identificar resumidamente as suas fases de utilização
  4. Comprometer-se, em tomar a iniciativa de verificar, com o coachee e durante o decorrer da sua utilização, a sua suposta utilidade
  5. Colocar a possibilidade de abandono da sua utilização, caso não esteja a produzir os efeitos esperados
  6. Solicitar acordo explícito do coachee, acerca da sua utilização

 

Surge-lhe alguma pergunta ou pensamento que queira partilhar connosco?

Para saber mais sobre este tema, recomendamos a formação CEGOC Programa de formação de Coaches profissionais - Nível Inicial

/5 - Voir tous les avis

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Avatar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva o Blog

For security reasons, JavaScript and Cookies must be enable in your browser to subscribe