Um último olhar pelas Competências Nucleares de Coaching da ICF

Por o 4 Novembro 2016

Sugiro um último olhar às definições da ICF, relativas às competências Desenhar ações, Planear e estabelecer objetivos e Acompanhar o progresso e a responsabilização.

– As Competências Nucleares da ICF – 

Facilitar a Aprendizagem e os Resultados”

blog-coaching_680x250

 

Competência 9 – Desenhar ações

A ICF define a sua competência “9 – Desenhar ações”, como “a capacidade para criar, com o cliente, oportunidades de aprendizagem contínua, durante o coaching e nas várias situações de contexto profissional ou pessoal, e para proporcionar a prática de novas ações mais eficazes na concretização dos resultados de coaching pré-estabelecidos”.

Com mais detalhe:

  1. Promover a produção de ideias (brainstorming) e ajudar o cliente a definir as ações que lhe permitirão manifestar, praticar e aprofundar as novas aprendizagens,
  2. Ajudar o cliente a concentrar-se e a explorar, de modo sistemático, as preocupações e as oportunidades específicas que estejam associadas às metas do coaching,
  3. Envolver o cliente na exploração de ideias e soluções alternativas, na avaliação de opções e na respectiva tomada de decisões,
  4. Promover a experimentação ativa e a auto-descoberta, imediatamente depois do cliente aplicar, no seu contexto profissional ou pessoal, o que discutiu e aprendeu através das sessões de coaching,
  5. Celebrar os sucessos e as capacidades para futuro crescimento do cliente,
  6. Desafiar os pressupostos e as perspectivas do cliente para provocar novas ideias e encontrar novas possibilidades de ação,
  7. Defender ou levar adiante os pontos de vista que sejam coerentes com as metas do cliente e, sem ficar preso, encorajar o cliente a tomá-los em consideração,
  8. Ajudar o cliente a agir de imediato, durante a sessão de coaching, fornecendo apoio imediato,
  9. Encorajar esforços e desafios, mas também um ritmo confortável de aprendizagem.

 

A competência 10 – Planear e estabelecer objetivos

A competência “10 – Planear e estabelecer objetivos”, como a “capacidade para desenvolver e manter um plano de coaching efetivo com o cliente”. Com mais detalhe:

  1. Consolidar a informação recolhida e estabelecer, com o cliente, um plano de coaching e de desenvolvimento de objetivos que se refira aos principais interesses do cliente e às grandes áreas de aprendizagem e desenvolvimento,
  2. Criar um plano com resultados que sejam alcançáveis, mensuráveis, específicos e com datas de realização,
  3. Fazer ajustamentos nos planos, conforme acordado no processo de coaching e de acordo com as mudanças na situação,
  4. Ajudar o cliente a identificar e a aceder a diferentes recursos para aprendizagem (ex, livros, outros profissionais),
  5. Identificar e estabelecer como alvo, os primeiros sucessos que sejam importantes para o cliente.

 

Competência 11 – Acompanhar o progresso e a responsabilização

E a competência “11 – Acompanhar o progresso e a responsabilização”, como “a capacidade para manter a atenção sobre aquilo que é importante para o cliente e para deixar a responsabilidade de agir ao cliente”. Com mais detalhe:

  1. Solicitar claramente ao cliente, a tomada de ação que o mova face aos objetivos declarados,
  2. Demonstrar atenção no acompanhamento, através da realização de perguntas acerca das ações com que o cliente se comprometeu durante a/as anteriores sessões de coaching,
  3. Apelar ao reconhecimento do cliente relativamente ao que fez, não fez, aprendeu ou tomou consciência, desde a/as anteriores sessões de coaching,
  4. Preparar, organizar e rever as informações obtidas durante as sessões, juntamente com o cliente,
  5. Manter a continuidade entre as sessões, concentrando a atenção no plano e nos resultados de coaching, nos cursos de ação acordados e nos tópicos para as próximas sessões,
  6. Manter a concentração no plano de coaching mas sem perder abertura para o ajustamento de comportamentos e ações, em função do processo de coaching e das mudanças de direção que ocorram durante as sessões,
  7. Ser capaz de se mover para trás e para adiante, dentro do enquadramento do cliente, definindo um contexto entre o que está sendo discutido e para onde o cliente deseja chegar,
  8. Promover a autodisciplina do cliente e mantê-lo responsabilizado pelo que diz que vai fazer, pelos resultados da sua ação intencional ou pelos planos específicos e prazos que defina,
  9. Desenvolver a capacidade do cliente para tomar decisões, definir áreas-chave de preocupações e se auto desenvolver (receber feedback, determinar prioridades e definir o ritmo de aprendizagem e refletir e aprender com as experiências),
  10. Confrontar o cliente, de maneira positiva, com o facto de não ter realizado as ações com que se comprometeu.

 

Consegue ver algo aqui que, sendo essencial sobre estas competências, não foi salientado neste texto e no anterior?

 

 

Para saber mais sobre este tema, recomendamos a formação CEGOC Programa de formação de Coaches profissionais - Nível Inicial

/5 - Voir tous les avis

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Avatar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva o Blog

For security reasons, JavaScript and Cookies must be enable in your browser to subscribe